Auditoria Preventiva Pública: indicadores do controle interno governamental

  • Maria da Glória Costa Cortez

Resumo

E ste estudo teve suas ações sustentadas pelas Normas de Auditoria e os Fundamentos e Critérios da Excelência exigidos pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). A adoção da Auditoria Preventiva começou com a definição do modelo corporativo, que tornou clara a missão das auditagens. Esta auditoria apresentou uma cadeia de relações de causa e efeito, tendo-se como principal resultado a criação de indicadores para mensurar o controle interno e as atividades de auditoria. Esses indicadores são os vetores de desempenho para avaliar as ineficiências desses controles. O objetivo geral é apresentar a implantação de Auditoria Preventiva por meio da criação de Indicadores, que vêm sendo aplicados desde março/2009 na Companhia de Saneamento do Estado de Alagoas (Casal). O objetivo específico é: relatar as ações e os segmentos de Auditoria Preventiva. A metotodologia foi através de visitas in loco, onde os auditados receberam explicações sobre o controle interno e o processo preventivo. Então, a partir da literatura sobre auditoria preventiva e os Fundamentos e Critérios da Excelência, surgiram as ações de prevenções. Os dados foram tabulados, tendo-se como fonte principal os relatórios de auditoria interna e o processo de consultas. Os resultados foram: a criação de indicadores; a mudança cultural da força de trabalho; o apoio gerencial; e as mudanças no perfil do auditor. Nesse ambiente, assegura-se a confiabilidade da informação.

##submission.authorBiography##

Maria da Glória Costa Cortez
Graduada em Auditoria pelo Centro de Estudo Superiores de Maceió (Cesmac) e em Gestão Pública pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Exerce o cargo de Assessora Chefe de Auditoria de Interna (Audin), na Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) Brasil. Possui 25 anos de experiência em auditoria pública e privada, tendo exercido atividades de auditora na Controladoria Geral do Estado, fazendo parte também da Comissão de Modernização daquele órgão. É professora de pós-graduação na Faculdade Maurício de Nassau em Maceió, na Secretaria de Estado da Gestão Pública do Estado de Alagoas e no Instituto Cidadão; atua desde 2004 como professora na capacitação de servidores públicos estaduais e municipais com as disciplinas: Execução Orçamentária e Financeira no Setor Público, Auditoria Governamental, Projetos Científicos e Gestão Pública. Em dezembro de 2010, foi premiada na categoria Inovação da Gestão em Saneamento pela Associação Brasileira em Saneamento – ABES – BH/MG –e ABES – AL – Brasil com o Estudo de Caso: Auditoria Preventiva Pública: Indicadores do Controle Interno Governamental. Foi conferencista no CLAI 2011 na Costa Rica – San Jose, com a palestra Auditoria Preventiva Pública: Indicadores do Controle Interno Governamental; Em setembro de 2011, foi palestrante na 14ª Conferência de Auditoria Interna em São Paulo com apresentação do trabalho: Auditoria Preventiva: Gerenciamento Proativo. Em outubro/2011, coordenou e realizou o VI Encontro de Auditoria Interna das Empresas de Saneamento.
Publicado
2012-07-31
Como Citar
CORTEZ, Maria da Glória Costa. Auditoria Preventiva Pública: indicadores do controle interno governamental. Revista Brasileira de Contabilidade, [S.l.], n. 191, p. 48-59, jul. 2012. ISSN 2526-8414. Disponível em: <http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/960>. Acesso em: 20 nov. 2019.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.