Ativos biológicos: nível de transparência e evidenciação nas demonstrações contábeis

  • João Ricardo Finatelli
  • Gustavo Rodrigues Ortega

Resumo

Após a aprovação da Lei n.º 11.638/07, o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) passou a ter autonomia para coordenar a harmonização das normas societárias vigentes no Brasil para as normas internacionais publicadas pelo International Accounting Standards Board (IASB). Em 2009, o CPC emitiu o pronunciamento denominado CPC 29, representativo de Ativo Biológico e Produto Agrícola, o que tem correlação com as normas internacionais de contabilidade IAS 41. O referido pronunciamento tem como objetivo estabelecer o tratamento contábil e as respectivas divulgações relacionadas aos ativos biológicos e produtos agrícolas. As novas metodologias trouxeram, de maneira generalizada, resultados diferentes daqueles que seriam obtidos por meio da antiga metodologia de contabilização. Como exemplo, observa-se que o CPC 29 e a norma internacional IAS 41 preceituam que os ativos biológicos de uma entidade devem ser mensurados pelo seu valor justo, subtraídos desses os custos estimados para venda, desde sua fase de transformação até a colheita.Diante deste cenário, este artigo buscou analisar qual o nível de transparência e evidenciação nas demonstrações contábeis com a adoção do CPC 29, já que se trata de uma substituição a algo que existia à longa data em vez de complementar a informação existente. Para tanto, foram selecionadas empresas do subsetor de alimentos processados e enquadradas no Novo Mercado da Bovespa por terem um nível de Governança Corporativa diferenciada. A metodologia utilizada foi de pesquisa bibliográfica exploratória. Por fim, foi possível observar que as empresas não vêm divulgando informações importantes para análise de seus usuários externos (investidores e credores).

Biografia do Autor

João Ricardo Finatelli
Especialista em Controladoria e Contabilidade Estratégica; Especialista em Gestão Tributária. Auditor e consultor de empresas.
Gustavo Rodrigues Ortega
Mestre em Controladoria e Contabilidade estratégica; Especialista em Finanças Corporativas e em controladoria. Professor de pós-graduação lato sensu na Universidade Municipal de São Caetano do Sul.
Publicado
2013-04-24
Como Citar
FINATELLI, João Ricardo; ORTEGA, Gustavo Rodrigues. Ativos biológicos: nível de transparência e evidenciação nas demonstrações contábeis. Revista Brasileira de Contabilidade, [S.l.], n. 196, p. 66-79, abr. 2013. ISSN 2526-8414. Disponível em: <http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/1005>. Acesso em: 07 dez. 2021.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.